.
 
 
O beijo na boca pode causar doenças bucais?
 
+ Saúde
 
     
   

Tamanho da fonte:


30/11/2018

O beijo na boca pode causar doenças bucais?

É preciso ter cuidado, principalmente quando muitas bocas entram em cena

Uma música muito popular no Carnaval  já anuncia a moda entre os jovens na festa mais popular  do Brasil. “Eu quero mais é beijar na boca, E ser feliz daqui pra frente… pra sempre”. Na própria letra da música, tem a seguinte citação: "Já me livrei daquela vida tão vulgar, me vacinei de tudo que podia me pegar." Será mesmo que estamos vacinados contra os males que podem ser provocados por um beijo na boca?

Que o beijo na boca é algo bom, ninguém questiona. Mas, em apenas um beijo, duas pessoas trocam em média 250 tipos diferentes bactérias e podem transmitir ou contrair doenças perigosas. “Na saliva trocada durante a intimidade, há bactérias e vírus causadores de doença. Esses males bucais não são determinados apenas pela presença de microorganismos nativos ou transmitidos. Outras doenças mais agudas podem se desenvolver pouco tempo após a transmissão bacteriana e viral que ocorre através do beijo: faringite, laringite, amigdalite, herpes labial, mononucleose, hepatites A e B, HPV, meningite, candidíase, gripe, tuberculose, sífilis, dentre outras.”, alerta a mestre e doutora em odontologia, Dra. Maristela Lobo.

O perigo se torna iminente a partir do momento em que o beijo, uma intimidade entre casal, se torna moda e muitas bocas entram em cena em períodos curtos. Em baladas durante o ano todo e no Carnaval de rua e micaretas, quem costuma frequentar sabe muito bem como é comum a “beijação” indisciplinada, sem reservas e sem muito critério de seleção. “É importante considerar que, no Carnaval, as pessoas têm maior susceptibilidade a doenças, podem estar com imunidade baixa e não realizam os cuidados de higiene oral como o fazem no cotidiano. Dessa forma, haverá mais propensão à gengivite e as outras doenças, potencializadas pela transmissão de bactérias através do beijo.”,  destaca a também especialista em periodontia.

Mesmo os casais que estão juntos há algum tempo, devem tomar alguns cuidados importantes. “Se o marido tem doença periodontal (que vai desde a gengivite até a periodontite, que é a perda óssea ao redor de um dente), e frequentemente beija a sua esposa, a transmissão bacteriana é continua e se torna nociva. Por exemplo: se a esposa está fazendo tratamento periodontal e o marido não está, ele vai estar recontaminando essa esposa através do beijo, o que pode dificultar o controle da infecção durante o tratamento periodontal dela. O ideal é que a família toda passe em consulta e, se necessário, seja tratada em conjunto”, informa a Dra. Maristela Lobo.

A especialista destaca que pessoas com feridas nos lábios, mau hálito, dentes mal cuidados e sangramento gengival devem evitar o beijo até que os tratamentos adequados sejam realizados. “Outra dúvida muito comum é se o beijo pode transmitir a AIDS. A saliva não transmite o vírus; mas, se o beijo acontece entre duas pessoas que têm gengivite, ou qualquer outro ferimento na boca, o HIV pode penetrar na corrente sanguínea. Se houver troca de sangue durante o beijo, se estabelece o risco de transmissão.”, alerta ela.

Mas, antes de curtir as delícias do beijo, o melhor é se prevenir de qualquer doença bucal indo com frequência ao dentista e mantendo a boca saudável e livre de bactérias, através de adequada higiene bucal. “Essa higiene bucal mecânica, realizada com fio e escova dentais, é a única capaz de desorganizar e destruir as colônias de bactérias (placa bacteriana), que causam as doenças bucais. Todos podem se divertir. Porém, é necessário ter bom senso.”, finaliza Dra. Maristela Lobo.

Autor: Dr. Maristela Maia Lobo
Fonte: Maristela Lobo

Imprimir Enviar link

Solicite aqui um artigo ou algum assunto de seu interesse!

Confira Também as Últimas Notícias abaixo!

 
 
 
 
 
 
 
Facebook
 
     
 
 
 
 
 
Newsletter
 
     
 
Cadastre seu email.
 
 
 
 
Interatividade
 
     
 

                         

 
 
.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - R. Dr. Flores, 263 - Centro Porto Alegre - RS, 90020-120
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 3779.0602