.
 
 
Reposição hormonal ajuda no combate aos efeitos da menopausa
 
+ Saúde
 
     
   

Tamanho da fonte:


14/11/2017

Reposição hormonal ajuda no combate aos efeitos da menopausa

Saiba quando a terapia é necessária e quais as vantagens e desvantagens deste tipo de tratamento

Muitos podem ser os sintomas indesejáveis quando as mulheres entram na menopausa. Com a diminuição dos hormônios estrogênio e progesterona nesta fase de transição, surgem as ondas de calor, alterações no humor, na pele e nos cabelos, redução da libido, entre outras mudanças desconfortáveis que podem afetar a qualidade de vida da mulher.

Manter uma alimentação balanceada, atividade física regular e hábitos saudáveis são aliados importantes que ajudam, e muito, a minimizar os sintomas desagradáveis desta fase, segundo o ginecologista Nilson Roberto de Melo.

Entretanto, algumas vezes essas atitudes não são suficientes. Nestes casos, o tratamento à base de hormônios também pode ser necessário como forma de ajudar a mulher a enfrentar com mais saúde o período da menopausa, que deve ser encarado com naturalidade. Apesar da possibilidade de benefícios, esse tipo de tratamento ainda gera dúvidas.

A reposição reduz os incômodos provocados pela diminuição hormonal e, ainda, previne doenças como a osteoporose. Nos cinco primeiros anos após a menopausa, há uma queda mais acelerada na quantidade de massa óssea, podendo esta perda ficar entre 5% e 25%. O tratamento ajuda a frear esse quadro. Existem ainda estudos que indicam que a terapia hormonal pode colaborar na diminuição do risco de desenvolver a doença de Alzheimer em cerca de 40%.

— Contudo, para o tratamento ter um bom resultado, ele deve ser realizado no momento correto. A reposição deve acontecer entre seis a oito anos após o início da menopausa. É importante ressaltar que uma análise individual é fundamental para indicar o melhor caminho— afirmao médico.

Avaliar caso a caso também é o que recomenda o cardiologista e professor da USP Otavio Gebara. Um tratamento bem indicado pode resultar em efeitos benéficos e um especialista pode ajudar a mulher nesta decisão.

—É muito importante que as mulheres saibam que a menopausa aumenta os riscos cardiovasculares. Muitas temem pelo câncer de mama, mas desconhecem que também podem estar sujeitas a sofrer um infarto ou um acidente vascular cerebral— alerta Gebara.

A deficiência hormonal afeta o sistema cardiovascular porque o estrógeno atua na proteção do coração e no tecido gorduroso. Para os médicos, algumas mudanças no estilo de vida ajudam não apenas a controlar os sintomas da menopausa, como também a afastar os riscos cardiovasculares. Estão nesta lista: evitar o tabagismo e o abuso do álcool, aumentar o consumo de fibras e cálcio, evitar o sal em excesso e realizar atividades físicas.

Para os casos em que a reposição hormonal seja necessária, a paciente pode fazer por meio de terapias naturais (extraídas de substâncias animais) ou sintéticas (produzidas em laboratórios, a partir de substâncias químicas que "imitam" os hormônios naturais).

De acordo com os especialistas, os casos em que a terapia hormonal não é indicada são aqueles em quem a paciente sofra de um câncer de mama, quadro de trombose, doenças cardíacas prévias e doenças do fígado. Por isso, a análise individual é tão importante para esta avaliação.


Autor: Redação
Fonte: Zero Hora

Imprimir Enviar link

Solicite aqui um artigo ou algum assunto de seu interesse!

Confira Também as Últimas Notícias abaixo!

 
 
 
 
 
 
 
Facebook
 
     
 
 
 
 
 
Newsletter
 
     
 
Cadastre seu email.
 
 
 
 
Interatividade
 
     
 

                         

 
 
.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - R. Dr. Flores, 263 - Centro Porto Alegre - RS, 90020-120
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 3779.0602