.
 
 
Apelidos na infância podem trazer reflexos negativos para formação psicológica da criança
 
+ Saúde
 
     
   

Tamanho da fonte:


20/12/2017

Apelidos na infância podem trazer reflexos negativos para formação psicológica da criança

Pediatra aponta os problemas relacionados com a prática

Os apelidos podem surgir como uma maneira de diferenciar pessoas com mesmo nome, entre familiares ou até colegas. Podem ser apenas diminutivos ou abreviações. Até aí, tudo funciona bem. O reflexo dessa alcunha dada a uma criança, porém, pode não ser o mais positivo. O pediatra e membro do Comitê de Desenvolvimento e Comportamento da Sociedade de Pediatria do RS (SPRS), Renato Santos Coelho, faz o alerta da importância de se observar alguns detalhes a respeito.

- O apelido pode trazer um fortalecimento e estreitamento nas relações ou afastar e causar consequências psicológicas negativas. O que define os benefícios ou malefícios podem ser identificados no propósito, a forma como a pessoa em questão o recebe e da maneira como aqueles que colocam o apelido se referem a ele, se é de forma afetiva ou não - explica.

A orientação para os pais é terem atenção a essas questões, escutar a criança e se colocar no lugar dela. É importante buscar soluções para esses problemas em conjunto com a criança, porém, não ao ponto de fazer as coisas por ela. A dica mais antiga que é dada, para que se ignore o apelido e mostrar que não afeta, é tratada como algo fácil para se dizer, porém, difícil se fazer.

- Busque respostas junto com o seu filho, deixe ele achar as suas soluções e, assim permitir que ele saia de um diálogo com a sensação de que a resposta veio dele, ajudada pelo adulto que tem a função de proteger e educar. Defender a criança de forma aberta, lidando de frente com os amigos que insistem em usar o apelido, não é recomendado. Pode funcionar, mas também pode deixar a criança numa posição humilhante e com baixa autoestima - ressalta.

Os casos que ultrapassam a barreira da brincadeira e se tornam bullying, devem ser tratados como tal. Quando isso acontece é necessário iniciar um tratamento com ajuda da equipe de psicopedagogos da escola em conjunto com os pais. 


Autor: Giovanni Andrade
Fonte: Play Press

Imprimir Enviar link

Solicite aqui um artigo ou algum assunto de seu interesse!

Confira Também as Últimas Notícias abaixo!

 
 
 
 
 
 
 
Facebook
 
     
 
 
 
 
 
Newsletter
 
     
 
Cadastre seu email.
 
 
 
 
Interatividade
 
     
 

                         

 
 
.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - R. Dr. Flores, 263 - Centro Porto Alegre - RS, 90020-120
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 3779.0602