.
 
 
IV Congresso Internacional CBA 2017
 
Educação
 
     
   

Tamanho da fonte:


22/12/2017

IV Congresso Internacional CBA 2017

Tecnologia aplicada à saúde promove empoderamento médico

“A medicina digital é o fim da Medicina ou o fim da doença?” O questionamento do presidente da International Telemedical Systems do Brasil, Roberto Botelho, abriu sua fala sobre a Medicina Digital e as Fronteiras do Mundo Digital: da assistência à pesquisa clínica, no IV Congresso Internacional CBA 2017. Ele prosseguiu afirmando que a pesquisa clínica não vai parar e que acredita que a tecnologia vai empoderar o médico. Botelho defendeu ainda que quanto maior e mais completa for a coleta de dados, maior será a precisão da informação. Outro destaque do evento foi a fala da diretora executiva do Instituto PENSI do Hospital Infantil Sabará, em São Paulo, Fátima Fernandes, que além de ressaltar a importância da pesquisa e da informação, mostrou a experiência do uso de tecnologia na instituição, que implementou, com a apoio do Ministério da Saúde, um projeto de capacitação de agentes comunitários de saúde para detectar sinais precoces de câncer infanto-juvenil no estado do Amazonas. Por meio de videoaulas, o projeto que também utiliza a telemedicina, permite que a equipe de médicos oncologistas do Hospital, preste segunda opinião e discuta casos com os agentes de saúde amazonenses. O programa vem sanar uma carência regional, explica ela: “Nossa equipe de oncologistas mapeou previamente que se tratava de uma região carente de diagnósticos precoces, o que levava a um desfecho muito dramático dos casos de câncer na infância”.

O presidente da Associação Médica Brasileira, Florentino de Araújo Cardoso Filho, encerrou o debate destacando que o Brasil é um ‘continente’, heterogêneo. “Esta heterogeneidade faz com que seja necessário que tenhamos pessoas extremamente rápidas em determinados conceitos, plataformas, ferramentas, aquisição de dados, transformando esses dados em informações e essas informações em ferramentas”.“A medicina digital é o fim da Medicina ou o fim da doença?” O questionamento do presidente da International Telemedical Systems do Brasil, Roberto Botelho, abriu sua fala sobre a Medicina Digital e as Fronteiras do Mundo Digital: da assistência à pesquisa clínica, no IV Congresso Internacional CBA 2017. Ele prosseguiu afirmando que a pesquisa clínica não vai parar e que acredita que a tecnologia vai empoderar o médico. Botelho defendeu ainda que quanto maior e mais completa for a coleta de dados, maior será a precisão da informação. Outro destaque do evento foi a fala da diretora executiva do Instituto PENSI do Hospital Infantil Sabará, em São Paulo, Fátima Fernandes, que além de ressaltar a importância da pesquisa e da informação, mostrou a experiência do uso de tecnologia na instituição, que implementou, com a apoio do Ministério da Saúde, um projeto de capacitação de agentes comunitários de saúde para detectar sinais precoces de câncer infanto-juvenil no estado do Amazonas. Por meio de videoaulas, o projeto que também utiliza a telemedicina, permite que a equipe de médicos oncologistas do Hospital, preste segunda opinião e discuta casos com os agentes de saúde amazonenses. O programa vem sanar uma carência regional, explica ela: “Nossa equipe de oncologistas mapeou previamente que se tratava de uma região carente de diagnósticos precoces, o que levava a um desfecho muito dramático dos casos de câncer na infância”.

O presidente da Associação Médica Brasileira, Florentino de Araújo Cardoso Filho, encerrou o debate destacando que o Brasil é um ‘continente’, heterogêneo. “Esta heterogeneidade faz com que seja necessário que tenhamos pessoas extremamente rápidas em determinados conceitos, plataformas, ferramentas, aquisição de dados, transformando esses dados em informações e essas informações em ferramentas”. 


Autor: Redação
Fonte: SB

Imprimir Enviar link

Solicite aqui um artigo ou algum assunto de seu interesse!

Confira Também as Últimas Notícias abaixo!

 
 
 
 
 
 
 
Facebook
 
     
 
 
 
 
 
Newsletter
 
     
 
Cadastre seu email.
 
 
 
 
Interatividade
 
     
 

                         

 
 
.

SIS.SAÚDE - Sistema de Informação em Saúde - Brasil - R. Dr. Flores, 263 - Centro Porto Alegre - RS, 90020-120
O SIS.Saúde tem o propósito de prestar informações em saúde, não é um hospital ou clínica.
Não atendemos pacientes e não fornecemos tratamentos.
Administração do site e-mail: contato@sissaude.com.br. (51) 3779.0602